Outubro 22, 2021

Automação: o que é e onde está presente.

Uma palavra que está em alta nesses últimos anos é a automação, parece que tudo à nossa volta está recebendo esse prefixo, como por exemplo automação residencial, automação de processo, automação comercial, automação industrial, até mesmo as redes sociais já foram automatizadas. Mas em meio a tantas formas de automação você sabe bem o que realmente significa esse termo?

Apesar desse nome estar em alta no momento, a automação não é tão nova assim, ela foi a responsável pela revolução industrial passada (veja o artigo sobre o impacto das revoluções industriais em nossas vidas). Mas se você olhar na história da Grécia e Egito antigo existiram alguns cientistas que já trabalhavam com esse conceito de automação.

“sistema em que os processos operacionais em fábricas, estabelecimentos comerciais, hospitais, telecomunicações etc. são controlados e executados por meio de dispositivos mecânicos ou eletrônicos, substituindo o trabalho humano; automatização.”

dicionário da Oxfordlanguages

Mas a melhor definição vem mesmo quando vamos à origem da palavra no grego autônomos que quer dizer trabalha por conta própria.

Todo mecanismo, seja ele mecânico ou até mesmo com uso de computadores e eletrônicos, que consegue fazer alguma atividade com pouca ou nenhuma intervenção humana, se enquadra no termo automação.

Com o avanço das tecnologias e a computação, ficou cada vez mais fácil desenvolver mecanismos autônomos. E por isso cada vez mais esse termo tem estado presente em nosso dia -a -dia. Só para nível de curiosidade para o leitor, o termo que usamos muito que é a informática, nada mais é que a junção das palavras informação com automática. Mostrando então que até as informações passam pelo processo de automação.

Na construção de equipamentos automatizados é muito comum ver a junção da mecânica elétrica e computação, e por isso o curso de Mecatrônica estar diretamente ligado com a automação e muitas vezes até usa o termo automação na descrição do curso. Embora não exista a necessidade das três categorias juntas para desenvolver alguma automação.

Automação industrial

Como falei, a automação é muito mais antiga do que possamos imaginar, mas ela tomou força mesmo em meados dos anos de 1950 onde as indústrias começaram a usar essa técnica para o melhor desempenho das produções. Com o surgimento da eletrônica e computação, essas automações começaram a ser mais amplas e as máquinas automatizadas, que antes faziam apenas algumas atividades repetitivas, agora são capazes de tomar decisões e desenvolver mais de uma atividade ou dependendo da demanda, até trocar de atividade. Esse tipo de máquina industrial, a princípio era desenvolvida através de painéis de relés, que foram substituídos por CLPs (controlador logico programável) que foi desenvolvido justamente para proporcionar controle de máquinas automatizadas. Embora os CLPs ainda sejam usados na indústria, já existem outros controladores menos robustos. São esses outros controladores, muitas vezes denominados microcontroladores, que proporcionaram a saída de automações mais avançadas para outras áreas da sociedade.

Automação residencial

Um dos lugares onde tem mais atividade repetitiva e simples é dentro de casa, e por isso não demorou muito para que a automação chegasse a ela. Afinal são raras as pessoas que curtem atividades domésticas. Infelizmente ainda não é possível a automação de algumas atividades como cozinhar. Mas ainda assim, existem muitas outras que podem, com os sensores e microcontroladores mais acessíveis. Até você leitor, pode desenvolver sua própria automação residencial. Alguns exemplos são os acionamentos das luzes, o monitoramento de câmeras de vigilância, um acionamento de algum equipamento eletrônico, a irrigação do jardim e por aí vai. Dependendo muitas vezes apenas da imaginação do próprio leitor.

Quando eu falo sobre automação residencial gosto muito de usar o filme “hit- conselheiro amoroso” estrelado por Will Smith no ano de 2005. Em uma cena do filme, quando a personagem principal vai encontrar o Alex (personagem do Will Smith) na casa dele, ela pega o tablet que se encontra na mesa e começa a experimentar o controle, ela muda a iluminação do local e a música tocada. Esse é um bom exemplo para mostrar para o leitor uma das atividades domésticas simples de serem automatizadas.

Da época do filme até hoje, muitas outras tecnologias surgiram e tem permitido uma automatização mais completa nas residências. Um exemplo são as assistentes virtuais que podem auxiliar nessa automação.

A automação residencial também pode aparecer com outros nomes, um deles é  domótica, que é a junção das palavras doméstica com a palavra robótica, levando em consideração que tanto a automação como a robótica são relacionadas e muitas vezes se fundem, já que trabalham com o mesmo conceito base.

Mas não foram só as casas que começaram a ter poder de automação, os prédios também tem se aproveitado dessa tecnologia. Existe o termo portaria remota, que proporcionou a automatização das atividades feitas na área comum do prédio e até mesmo nas portarias, deixando os porteiros em uma central, cuidando da vigilância e auxiliando os moradores de forma remota através de câmeras e interfones.

Automação comercial

É claro que nessa história toda, o comércio não iria ficar de fora, assim como as residências e os edifícios, a área comercial não só tem se beneficiado da automação como também tem mostrado uma grande aceitação e crescimento nesse aspecto. Apesar de muita gente não ver dessa forma, mas a automação comercial está no mercado há bastante tempo, pois a maquininha onde a operadora de caixa passava as compras e registrava em um computador, que fazia a soma dos produtos passados, já pode ser denominado automação.

Mas hoje é muito mais fácil de identificar, vendo aqueles painéis em que o cliente faz seu pedido diretamente com a máquina. As formas de pagamento mais rápidas em que basta passar o cartão que o pagamento é efetuado. Mas também pode ser encontrada automação na retaguarda do comércio, com o controle de estoque através de etiquetas magnetizadas, máquinas que deixam o estoque organizado e até mesmo fazem o serviço de buscar o material do estoque.

Conclusão

Esses são apenas algumas das inúmeras funcionalidades da automação, que apesar de ser uma técnica antiga, está cada vez mais em ascensão e cada vez mais estaremos rodeados por atividades automatizadas, assim como é possível ver nitidamente em um desenho antigo que se chama “os Jetons”. Talvez, se o leitor curte desenvolvimento, essa seja uma boa opção para investir e trabalhar. Essa área está cada vez mais se consolidando na nossa atualidade, precisando cada vez mais de profissionais para não só desenvolver, como também proporcionar assistência para os mecanismos já automatizados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *